Educação

Sabatina da ONU pressiona Brasil a cumprir Plano Nacional de Educação

Países participantes também fizeram recomendações em relação ao investimento na educação e criticaram as políticas inflexíveis do atual governo

Apoie Siga-nos no

Nesta sexta, 5 de maio, o Brasil passou pelo processo de Revisão Periódica Universal, mecanismo do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (CDH), que submete os estados membros da ONU a uma revisão de sua situação de direitos humanos.

De maneira geral, o país foi pressionado pela comunidade internacional a cumprir o Plano Nacional de Educação (PNE), além de receber outras recomendações sobre a educação.

A China recomendou ao Brasil o aumento do investimento em infraestrutura educacional, especialmente em áreas rurais. A Venezuela criticou a aprovação da Emenda Constitucional (EC) 95/2016, que impõe um teto de gastos aos investimentos em políticas sociais; África do Sul, China, Haiti, Japão, Liechtenstein, Malásia, Nepal, Paraguai e Peru também problematizaram a inflexibilidade das políticas do atual governo.

Também esteve entre a pauta a retirada dos termos gênero e orientação sexual da Base Nacional Comum Curricular, criticada pela Finlândia, país que tem um dos sistemas de ensino mais elogiados do mundo.

Saiba + A sociedade perde ao não discutir gênero na escola

Ao término da reunião, o coordenador geral da Campanha Nacional pela Educação, Daniel Cara, que esteve presente para incidir sobre a pauta do encontro, enviou informações exclusivas diretamente de Genebra ao Carta Educação. Confira!

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo