Policiais agridem e apontam arma para jovens em escola de São Paulo

Caso aconteceu em uma escola do Rio Pequeno, zona oeste da cidade. Secretaria de Educação disse que vai apurar o ocorrido

Policiais agridem e apontam arma para jovens em escola de São Paulo

Educação

Um vídeo publicado nas redes sociais na noite de terça-feira 18 mostrou policiais agredindo adolescentes em uma escola estadual na zona oeste de São Paulo, a Emygdio de Barros. Nas cenas, é possível ver um rapaz de camiseta azul e boné sendo agredido por um policial com um soco no rosto. Momentos depois, ele é derrubado no chão por um outro policial que o aplica uma rasteira. Já imobilizado, o rapaz continua a receber tapas e chutes dos policiais. Pelo menos quatro PMs ficam em torno do rapaz.

Em outra cena, é possível ver um rapaz de camiseta preta imobilizado por um policial, que o aplica uma gravata. Momentos depois, um outro policial surge com uma arma apontada para o rapaz e lhe desfere um soco no rosto.

Em uma terceira gravação, os dois jovens aparecem algemados sendo conduzidos pelos policiais pelas escadas da escola.

Segundo relatos dos estudantes, o caso teria começado quando um dos jovens que aparece sendo agredido viu que seu nome não estava na lista de matrículas da escola. Ele teria questionado a direção do colégio, que o teria pedido para deixar a unidade. Com o desentendimento, a direção teria chamado a PM.

Em nota, a A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) informou que vai apurar o episódio ocorrido na escola e que colabora com a Polícia para esclarecer o fato. A Secretaria da Segurança Pública também disse que vai analisar as imagens e adotar as medidas cabíveis.

O Conselho Tutelar do Rio Pequeno foi comunicado sobre o caso e informou que encaminhará denúncia ao Ministério Público e à Defensoria Pública do Estado de São Paulo para que tomem as medidas cabíveis necessárias tanto por parte da Polícia Militar quanto da direção da escola, que, segundo relatos de alunos aos conselheiros, permitiu a entrada dos policiais militares na escola.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem