MP-SP pede revogação da Política Nacional de Educação Especial

Instituição destaca inconstitucionalidade da medida que prevê atendimento educacional de estudantes com deficiência em escolas especiais

PRESIDENTE JAIR BOLSONARO. FOTO: EVARISTO SÁ/AFP

PRESIDENTE JAIR BOLSONARO. FOTO: EVARISTO SÁ/AFP

Educação

O Ministério Público do Estado de São Paulo lançou uma campanha em suas redes sociais nesta sexta-feira 9 pedindo a revogação da Nova Política Nacional de Educação Especial, instituído pelo governo federal por meio de decreto.

 

 

A instituição destaca o caráter inconstitucional da medida, que prevê o atendimento educacional em turmas e escolas especializadas apenas para alunos com deficiência, impedindo que eles convivam com alunos da rede geral.

 

Por meio da campanha, o Ministério Público reforça que o sistema educacional deve ser inclusivo em todos os níveis de ensino, conforme o estabelecido pela Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que tem status constitucional no Brasil.

 

A Nova Politica Nacional de Educação Especial (Decreto nº 10.502/2020) prevê escolas e turmas especializadas e…

Posted by Ministério Público do Estado de São Paulo on Friday, October 9, 2020

 

 

“A iniciativa reafirma o compromisso do MPSP luta pela educação das pessoas com deficiência sem segregação nem discriminação, entendendo que o decreto do governo federal impede que estudantes com deficiência participem da sociedade em condições de igualdade com os demais”, afirmou o MPSP, em nota.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem