Estado de SP inicia vacinação de profissionais da educação

Mais de 153,5 mil professores, servidores e funcionários de escolas públicas e particulares já finalizaram cadastro

Poderão ser vacinados os profissionais que atuam nas escolas das redes públicas (municipal, estadual e federal) e privada com idade a partir de 47 anos. Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Poderão ser vacinados os profissionais que atuam nas escolas das redes públicas (municipal, estadual e federal) e privada com idade a partir de 47 anos. Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Educação

Os profissionais da educação do Estado de São Paulo começaram neste sábado, 10, a receber a vacina contra a Covid-19. Estão disponíveis, em uma primeira etapa, 350 mil doses para os educadores. Poderão ser vacinados os profissionais que atuam nas escolas das redes públicas (municipal, estadual e federal) e privada com idade a partir de 47 anos. O público-alvo representa cerca de 40% de todos os profissionais da educação básica em São Paulo.

Estão sendo imunizados funcionários que atuam em diversas funções, como secretários, auxiliares de serviços gerais, faxineiras, mediadores, merendeiras, monitores, cuidadores, diretores, vice-diretores, professores de todos os ciclos da educação básica, professores, coordenadores pedagógicos, e professores temporários.

 

Para receber a vacina, os profissionais devem fazer o cadastro na plataforma VacinaJá Educação. Até ontem, 9, já haviam sido cadastrados mais de 465 mil educadores; 163 mil deles já estão validados e aptos a receber a primeira dose.

Idosos de 67 anos

A partir da próxima segunda-feira, 12, os idosos de 67 anos ou mais também poderão ser vacinados contra a Covid-19. As 350 mil pessoas que compõem este grupo no estado poderão procurar os postos a partir da próxima semana para receber sua primeira dose. Já os 760 mil idosos com 65 e 66 anos começarão a ser imunizados no próximo dia 21.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias brasileira, pública e de acesso livre, gerida pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Compartilhar postagem