Educação

Doria cede e vai devolver apostilas às escolas: “preferimos o diálogo”

As apostilas serão devolvidas na próxima semana e terão orientações aos professores de como abordar as questões de gênero e sexualidade

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, anunciou nesta sexta-feira 13 que vai devolver às escolas da rede as apostilas que seriam utilizadas por estudantes do 8º ano e que foram recolhidas no último dia 3, sob acusação de fazerem “apologia à ideologia de gênero”. Segundo o governo a devolução será feita na próxima semana.

Doria reforçou que poderia ter recorrido da liminar provisória concedida pela Justiça de São Paulo, mas que preferiu ceder á conciliação. “Ao invés do confronto, preferimos o diálogo”, declarou. Os materiais serão devolvidos sem alterações, mas com um encarte a mais que trará orientações aos professores de como aplicar o conteúdo.

O governador ainda ressaltou que o caso difere do caso do Rio de Janeiro, em que o prefeito Marcelo Crivella ordenou o recolhimento de uma HQ da Bienal do Livro mandou recolher na Bienal do Livro por mostrar um beijo gay. “Aqui em São Paulo não fazemos censura”, declarou.

Esta semana a Justiça de São Paulo deferiu uma liminar dando 48h aos governo para devolver o material, sob o argumento de que a medida “lesava o patrimônio público e o erário”. A decisão aconteceu depois que um grupo de professores de universidades públicas de São Paulo moveu uma ação popular contra o governo pelo imediato cancelamento da medida e restituição das apostilas em condições de uso.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!