Economia

Por impacto do coronavírus, Caixa reduz juros e adia pagamento de parcelas

O banco anunciou crédito e diminuição dos juros para empresas, para quem financia a casa e para hospitais. Confira

(Foto: Jose Cruz/EBR)
(Foto: Jose Cruz/EBR)

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira 19 medidas de flexibilização de crédito e congelamento de cobrança de dívidas como uma forma de aliviar os impactos econômicos do coronavírus, que, especialmente aos trabalhadores mais pobres, tem potencial agressivo de riscos à saúde e às finanças.

O pacote de ações inclui pessoas físicas, jurídicas – empresas -, opções para quem financia moradia pelo banco e, também, diminuição dos juros e novos fundos e linhas de crédito para hospitais.

As medidas vêm no momento que o governo federal finalmente reagiu à pandemia global no ponto de vista econômico.

Na quarta-feira 19, o ministro da Economia Paulo Guedes anunciou um pacote de R$ 15 bilhões para auxiliar trabalhadores informais com um voucher, que poderão ser retirados por pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) desde que o beneficiário não receba nenhum benefício social, como o Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

 

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou que novas medidas poderão ser anunciadas pelo banco e o prazo de 60 dias de pausa nos contratos de crédito pode ser ampliado se houver necessidade. “Se por acaso, essa crise continuar e for maior, a Caixa ampliará os prazos. E estaremos avaliando todo o dia, toda a semana o impacto [do coronavírus]”, disse, em uma transmissão ao vivo pelo Facebook.

Veja as ações propostas pela Caixa:

Ações para pessoas físicas:

  • Possibilidade de pausa de até 60 dias nas operações parceladas de crédito pessoal
  • Ampliação das linhas de crédito consignado, incluindo as linhas para aposentados e pensionistas do INSS
  • Redução de taxa de juros nas linhas de crédito pessoal (crédito consignado a partir de 0,99% a.m., penhor a partir de 1,99% a.m. e CDC a partir de 2,17% a.m)
  • Disponibilização gratuita do cartão virtual de débito Caixa aos mais de 100 milhões de correntistas e poupadores. O cliente pode habilitar o uso do cartão diretamente no Internet Banking CAIXA
  • Renovação do contrato de penhor diretamente no site da CAIXA e canal Telesserviço, evitando a necessidade de o cliente comparecer à uma agência bancária.

Ações para empresas:

  • Redução de juros de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% a.m.
  • Disponibilização de carência de até 60 dias nas operações parceladas de capital de giro e renegociação
  • Disponibilização de linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços, mais afetadas pelo momento atual
  • Linhas de aquisição de máquinas e equipamentos, com taxas reduzidas e até 60 meses para pagamento

Habitação:

  • Para contratos habitacionais de pessoa física, os clientes poderão solicitar a pausa estendida de até duas prestações pelo APP Habitação CAIXA, sem a necessidade de comparecimento às agências
  • Empresas poderão solicitar pausa estendida de até duas prestações em seus contratos habitacionais

Caixa Hospitais:  

  • Liberação de R$ 3 bilhões em orçamento em linhas destinadas a Santas Casas e Hospitais Filantrópicos que prestam serviço ao SUS, para reestruturação de dívidas e novos recursos
  • Taxa de juros de 0,80% a.m. para prazos de até 60 meses (redução de 14%)
  • Taxa de juros de 0,87% a.m. para prazos de até 120 meses (redução de 23%)
  • Prazo de pagamento de até 120 meses e carência de até seis meses

*Com informações da Caixa Notícias e da Agência Brasil

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!