Economia

Petrobras anuncia nova política de preços para gasolina e diesel

A medida, na prática, coloca fim ao modelo de paridade internacional

Foto: Agência Petrobras
Apoie Siga-nos no

A Petrobras anunciou nesta terça-feira 16 a sua nova política de preços para gasolina e diesel. A medida, na prática, coloca fim ao modelo de paridade internacional, atrelado ao dólar e ao mercado global de petróleo.

O anúncio da empresa já havia sido antecipado na semana passada pelo presidente da estatal, Jean-Paul Prates, que deu indicações de qual seria o novo modelo adotado. A oficialização, porém, ocorreu apenas nesta terça com a publicação de um fato relevante ao mercado.

De acordo com o comunicado, a regra que estava em vigor desde 2016, que acompanhava as flutuações do mercado internacional sem qualquer intervenção deixa de vigorar. O novo modelo de preços, diz o documento, levará em conta o ‘custo alternativo do cliente’ e o ‘valor marginal para a Petrobras’.

“O custo alternativo do cliente contempla as principais alternativas de suprimento, sejam fornecedores dos mesmos produtos ou de produtos substitutos, já o valor marginal para a Petrobras é baseado no custo de oportunidade dadas as diversas alternativas para a companhia dentre elas, produção, importação e exportação do referido produto e/ou dos petróleos utilizados no refino”, explica a Petrobras.

Não está claro, porém, qual será o peso de cada um dos dois fatores para a determinação do preço final da gasolina e do diesel. A estatal diz, ainda, que seguirá com reajustes sem prazos definidos, mas que não repassará mais a volatilidade do mercado internacional aos brasileiros.

“Os reajustes continuarão sendo feitos sem periodicidade definida, evitando o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”, diz o comunicado da empresa.

Segundo a Petrobras, o novo modelo adotado pela empresa permite que sejam feitos ajustes que levam em conta fatores internos e regionais. A intenção, indica o comunicado, é fazer com que os preços praticados estejam alinhados por polo de venda.

“Com a mudança, a Petrobras tem mais flexibilidade para praticar preços competitivos, se valendo de suas melhores condições de produção e logística e disputando mercado com outros atores que comercializam combustíveis no Brasil, como distribuidores e importadores”, diz um trecho do fato relevante.

“Vamos continuar seguindo as referências de mercado, sem abdicar das vantagens competitivas de ser uma empresa com grande capacidade de produção e estrutura de escoamento e transporte em todo o país”, destaca o presidente da Petrobras, Jean-Paul Prates, em nota.

O modelo apresentado nesta terça-feira, importante mencionar, estaria em linha com o prometido por Lula (PT) durante sua campanha eleitoral. Naquela ocasião, o petista prometeu acabar com a dolarização dos combustíveis brasileiros e ‘abrasileirar’ os preços.

Leia a íntegra do anúncio da Petrobras:

FatoRelevante-Petrobrassobreestratgiacomercialdedieselegasolina

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.