Economia

O que é o Banco dos Brics, que será presidido por Dilma Rousseff

A ex-presidenta da República substituirá Marcos Troyjo, indicado por Jair Bolsonaro

O presidente Lula e a ex-presidenta Dilma Rousseff. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) foi eleita para a presidência do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês), conhecido como Banco dos Brics. O bloco é formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul e, após os anos de Jair Bolsonaro (PL), volta a ganhar atenção do governo brasileiro.

Dilma foi escolhida por unanimidade pela Assembleia de Governadores da instituição nesta sexta-feira 24. O comunicado oficial divulgado pelo banco após a eleição ressalta que Dilma, na condição de presidenta da República, “concentrou sua agenda em garantir a estabilidade econômica do País e a geração de empregos”, além de priorizar “o combate à pobreza e os programas sociais iniciados na gestão do presidente Lula”.

Ainda segundo o texto, Dilma promoveu na política internacional o respeito à soberania dos países e a defesa do multilateralismo, do desenvolvimento sustentável, dos direitos humanos e da paz.

O mandato de Dilma como presidenta do Banco do Brics vai até julho de 2025. O antecessor dela no cargo era o também brasileiro Marcos Troyjo, indicado em 2020 por Bolsonaro. A saída dele é fruto de um acordo político para viabilizar a ascensão da ex-presidenta.

O NDB tem o objetivo de mobilizar recursos para investir em projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável em mercados emergentes. A estratégia do banco para o período entre 2022 e 2026 é intitulada Aumentar o Financiamento do Desenvolvimento para um Futuro Sustentável.

“Para cumprir nosso propósito, apoiamos projetos nos setores público e privado por meio de empréstimos, investimentos de capital e outros instrumentos sob medida”, informou o banco.

As áreas de operação do NDB se dividem em:

  • Energia Limpa e Eficiência Energética
  • Infraestrutura de transporte
  • Água e saneamento
  • Proteção do meio ambiente
  • Infraestrutura social
  • e Infraestrutura digital

O NDB foi fundado em 2014 com capital autorizado de 100 bilhões de dólares e capital inicial de 50 bilhões, com contribuições igualmente distribuídas entre os cinco membros fundadores.

A instituição está sediada em Xangai, na China, onde Dilma deve passar a morar. O primeiro escritório regional do NDB foi aberto em Joanesburgo, na África do Sul.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo