Economia

assine e leia

Fome para todos

Há risco de uma catástrofe planetária, alerta a ONU. O Brasil havia equacionado o problema, e agora está ameaçado

Monocultura. Há 84,8 milhões de brasileiros em situação de insegurança alimentar. Dos 72 milhões de hectares de lavouras, 31 milhões são de soja - Imagem: Christiano Antonucci/GOVMT e Wenderson Araújo/Sistema CNA/Senar
Monocultura. Há 84,8 milhões de brasileiros em situação de insegurança alimentar. Dos 72 milhões de hectares de lavouras, 31 milhões são de soja - Imagem: Christiano Antonucci/GOVMT e Wenderson Araújo/Sistema CNA/Senar
Apoie Siga-nos no

O alerta recente das Nações Unidas para um novo recorde nos níveis mundiais de fome e o alto número de pessoas em insegurança alimentar severa, pouco depois do anúncio de um plano do G-7 para enfrentar o problema, expõe tanto os malefícios da globalização quanto os extremos da condição paradoxal do Brasil, terceiro maior produtor de alimentos do mundo e, ao mesmo tempo, assombrado pela fome. Segundo a ONU, os preços dos alimentos no mundo são os mais caros em 61 anos, o total de famélicos subiu 500% desde 2016 e o número de habitantes nessa situação passou de 135 milhões, antes da pandemia, para 276 milhões.

Vários países estão à beira de uma crise gigante, caso de Sri Lanka, Marrocos, ­Paquistão e Líbano, entre outros, destacou em apresentação na Câmara dos Deputados a economista Jayati Ghosh, professora da Universidade de ­Massachusetts. O aumento do preço de alguns alimentos em até 300% no Irã provocou protestos em massa e incêndios de lojas.

Carlos Drummond

Carlos Drummond
Editor de Economia da edição impressa de CartaCapital

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.