…

Chefe do BB coleciona posts machistas e não crê em aquecimento global

Economia,Política

Com reportagem de Thais Reis Oliveira

O novo presidente do Banco do Brasil, o economista Rubem Novaes, é um homem alinhado a seu superior hierárquico. Seu histórico de postagens nas redes sociais mostra deferência a várias das bandeiras defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro: misoginia, antipetismo, fake news e teorias exóticas sobre aquecimento global e política. É ver para crer.

No que se refere especificamente à sua área de atuação – a economia – Novaes é um liberal convicto, que acredita no Estado Mínimo e acha que o Bolsa Família torna as pessoas acomodadas e faz com que seus beneficiários percam o desejo de procurar emprego.

Veja, abaixo, algumas das pérolas que, pelo menos até a publicação desta reportagem, estavam à disposição de todos que têm olhos para ver, na página pessoal do presidente do BB no Facebook.

Rubem Novaes e as mulheres

No humor do século passado de Novaes, o interesse feminino por tecnologia passa sempre pelas tarefas domésticas. O presidente do BB sacou sua “tirada” de um blog chamado Testosterona

 

Leia também: Fakes pró-Bolsonaro espalham desinformação disfarçada de paródia

Em 2014, o economista fez comentários misóginos sobre ministras e assessoras da então presidenta Dilma Rousseff (PT)

 

O presidente do Banco do Brasil fez piada baseadas em fofocas a respeito de supostas vidas extraconjugais de chefes de Estado

 

Mais um pouco da misoginia disfarçada de humor no perfil de Rubem Novaes

 

Até 2014, o presidente do Banco do Brasil ainda achava engraçadas piadas com o mote “Loira Burra”

 

Leia também: Governo Bolsonaro volta atrás e cancela suspensão da reforma agrária

Sem comentários

 

Rubem Novaes e as fake news

A montagem grosseira da imagem acima não impediu Novaes de compartilhá-la

 

Então, tá

 

Rubem Novaes e o aquecimento global

Sem comentários

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor-executivo do site CartaCapital.com.br

Compartilhar postagem