Economia

Câmara aprova projeto que limita ICMS sobre combustíveis e energia

O texto também tem de ser analisado pelo Senado; estados não desistiram de adiar as mudanças

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira 25, o texto-base do projeto que limita a 17% o ICMS sobre energia, combustíveis, telecomunicações e transporte coletivo.

A matéria contou com 403 votos favoráveis, dez contrários e duas abstenções. O próximo passo é a análise dos destaques, ou seja, propostas de modificação do texto. Na sequência, o projeto chegará ao Senado.

Segundo o substitutivo do relator, Elmar Nascimento (União-BA), haverá até 31 de dezembro deste ano uma compensação paga pelo governo federal aos estados pela perda de arrecadação do imposto. Essa compensação, porém, ocorrerá apenas por meio de descontos em parcelas de dívidas refinanciadas junto à União.

Os estados afirmam que a limitação do ICMS a 17% pode gerar perdas de até 83,5 bilhões de reais. Esta baixa ocorreria, segundo estimativas do Comitê Nacional de Secretários Estaduais de Fazenda, no chamado ” pior cenário”, caso aconteça alta de 30% nos combustíveis até o final do ano. Nos parâmetros atuais, as perdas são estimadas em 64,2 bilhões de reais.

Também contam com uma decisão do Supremo Tribunal Federal para tentar adiar os efeitos do projeto, se aprovado também pelo Senado, para no mínimo 2024.

Em novembro do ano passado, a Corte entendeu que energia elétrica é um bem essencial e, por isso, o imposto não poderia superar a alíquota geral (modal), que era de 18%. Para evitar perda imediata na arrecadação, os estados pediram ao STF que fosse obedecido o Plano Plurianual, planejamento das contas estaduais a cada quatro anos, e foram atendidos. Assim, a decisão só terá efeitos em 2024. O objetivo é usar o mesmo argumento.

(Com informações da Agência O Globo)

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.