Economia

Banco Central comunica novo vazamento de dados de chaves Pix

Situação afeta dados cadastrais de ao menos 22 mil usuários com contas nas instituições IUGU e PAGCERTO

Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Arquivo
Apoie Siga-nos no

O Banco Central (BC) informou, nesta terça-feira 11, o vazamento de dados cadastrais de pouco mais de 22 mil chaves Pix. As chaves estão vinculadas a duas instituições de pagamentos: a IUGU e a PAGCERTO.

Segundo o comunicado do BC, nenhuma informação sensível foi afetada. O vazamento registrado atinge apenas dados cadastrais. Foram vazados, conforme alerta o BC, nome do usuário, CPF com máscara, instituição de relacionamento, agência, número e tipo de conta. Com esses dados vazados não seria possível, por exemplo, realizar movimentações financeiras.

“Não foram expostos dados sensíveis, tais como senhas, informações de movimentações ou saldos financeiros em contas transacionais, ou quaisquer outras informações sob sigilo bancário. As informações obtidas são de natureza cadastral, que não permitem movimentação de recursos, nem acesso às contas ou a outras informações financeiras”, diz o trecho principal do comunicado.

Ao todo, foram 19.849 dados de chaves Pix vazados de clientes da IUGU e 2.197 da PAGCERTO.

O vazamento é informado, sempre que ocorre, pelo BC por uma questão de transparência, uma vez que a situação vai de encontro ao que prevê a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

De acordo com o comunicado, o vazamento confirmado nesta terça se deu por “falhas pontuais em sistemas das instituições”.

O BC informa, ainda, que a IUGU e a PAGCERTO deverão comunicar, individualmente, os clientes que tiveram seus dados vazados. A notificação será feita por aplicativos ou internet banking.

“Nem o BC nem as instituições participantes usarão quaisquer outros meios de comunicação aos usuários afetados, tais como aplicativos de mensagem, chamadas telefônicas, SMS ou e-mail”, alerta o comunicado.

Por fim, o Banco Central diz, também, que está apurando os detalhes desse novo vazamento e deve, em breve, aplicar sanções aos responsáveis.

A IUGU, em nota, confirma o episódio e diz que o problema teria sido resolvido em menos de 24 horas. A empresa reforça que ‘não houve vazamento de informações sensíveis ou quaisquer outras informações sob sigilo bancário’. Por fim, no comunicado, a IUGU diz, ainda, que ‘reforça seu compromisso com a segurança e privacidade de dados dos usuários como prioridade em todas as operações’ e que ‘continuamente direciona esforços para ofertar um ambiente seguro e confiável’.

A PAGCERTO não comentou.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo