Economia

Análise: Brasil se encontra na mais profunda queda no nível de atividade econômica desde 1980

Manutenção da centralidade da política governamental assentada na austeridade e autoritarismo não retirará país da trajetória de decadência

Foto: Pixabay Foto: Pixabay
Apoie Siga-nos no

Marcio Pochmann*

Ao antecipar o possível comportamento do PIB brasileiro neste primeiro semestre de 2020, o Banco Central constata o curso da quarta recessão na economia brasileira acumulada nos últimos quarenta anos.

A se confirmar essas informações prévias do Banco Central pelo IBGE, através das contas nacionais, poder-se-á afirmar que o Brasil encontra-se na mais profunda queda no nível de atividade econômica desde 1980.

Quando se amplia a análise, incorporando-se outros elementos de natureza econômica, como o expressivo fechamento de empresas, a profunda queda no nível de ocupação e a continuada saída de capital, pode-se considerar também a situação de proximidade da depressão econômica, mais do que a recessão.

Ademais, cabe ainda destacar que a prévia do PIB divulgada pelo Banco Central aponta a continuidade no crescimento da distância entre o propósito almejado desde a virada neoliberal na política econômica e social e a sua negação pela realidade socioeconômica do observada.

Diante disso, a manutenção da centralidade da política governamental assentada na austeridade e autoritarismo não retirará, infelizmente, o Brasil da trajetória de decadência econômica e da barbárie social a qual se encontra.

* Economista e ex-presidente da Fundação Perseu Abramo

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo