Rússia corta cenas gays de filme sobre Elton John e cantor condena

A distribuidora do filme biográfico no mercado russo censurou cenas de sexo e de consumo de drogas em ‘Rocketman’

Rússia corta cenas gays de filme sobre Elton John e cantor condena

Diversidade

O cantor Elton John criticou neste sábado 1º a decisão da distribuidora na Rússia de censurar cenas de sexo gay no filme sobre sua vida, “Rocketman”.

“Rejeitamos da maneira mais enérgica a decisão de censurar ‘Rocketman’ no mercado russo”, afirmou o artista em um comunicado publicado no Twitter.


“O fato de a distribuidora local ter considerado necessário editar certas cenas (…) é um triste reflexo sobre o mundo dividido no qual ainda vivemos e de como o amor entre duas pessoas ainda pode ser tão cruelmente inaceitável”, completou.

A distribuidora na Rússia do filme biográfico censurou cenas de amor homossexual e de consumo de drogas na versão para esse país, segundo os críticos que assistiram a uma exibição nesta sexta-feira em Moscou.

A companhia confirmou ter realizado essas modificações por razões legais.

“Todas as cenas de beijos, amor ou sexo oral entre homens foram cortadas”, escreveu no Facebook o crítico de cinema russo Anton Doline, qualificando de “flagrantes” alguns dos cortes.

Apresentado no Festival de Cannes, “Rocketman” conta a ascensão de Elton John, um dos primeiros cantores abertamente gay, e sua luta contra os vícios (drogas, sexo, álcool).

Respeito às leis russas

A empresa que distribui “Rocketman” na Rússia, Central Partenership, confirmou à agência estatal TASS que o filme foi modificado para “respeitar as leis russas”.

Desde 2013, uma lei pune com multa ou prisão qualquer ato de “propaganda” homossexual ante menores.

No entanto, não está claro se isso se aplica ao filme, que será proibido para menores de 18 anos quando estrear na Rússia, na próxima semana.

O ministro russo da Cultura, Vladimir Medinski, desmentiu que sua pasta tenha sido responsável por estes cortes, argumentando que “tudo é decidido pela distribuidora”, segundo a agência Ria Novosti.

Outros filmes com cenas de amor homossexual, entre eles Bohemian Rapsody, sobre o vocalista do Queen, Freddy Mercury, já foram exibidos na Rússia sem cortes.

Elton John é popular na Rússia, onde se apresentou pela primeira vez em 1979, durante a época soviética.

No entanto, o cantor se mostrou crítico às leis russas, consideradas discriminatórias para os homossexuais.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem