Série mexicana ‘Chaves’ sai do ar em toda a América Latina

Segundo a imprensa mexicana, a família do ator Roberto Bolaños e o canal Televisa não chegaram a um acordo sobre os direitos da série

Créditos: Reprodução

Créditos: Reprodução

Cultura

A popular série de televisão “Chaves”, protagonizada por Roberto Gómez Bolaños “Chespirito” e que continuava sendo transmitida principalmente na América Latina, foi tirada do ar de todos os canais em que era exibida, informaram os filhos do falecido ator neste domingo 2.

Criada por Gómez Bolaños em 1970 e com o último capítulo gravado em janeiro de 1980, “Chaves” foi retirada da televisão desde 1o de agosto porque, segundo a imprensa mexicana, a família do ator e o canal Televisa não chegaram a um acordo sobre os direitos da série.

“Embora estejamos tristes pela decisão, minha família e eu esperamos que Chespirito esteja em breve nas telas do mundo. Continuaremos insistindo e estou seguro de que conseguiremos”, escreveu em sua conta do Twitter Roberto Gómez Ferán, filho do ator.

 

A retirada de “Chaves” do ar entrou para os assuntos mais comentados no Twitter, com várias mensagens de lástima dos espectadores de países de língua espanhola, os quais ressaltaram os valores manifestados pelo programa, como a amizade, solidariedade e a honestidade.

No entanto, também havia duras mensagens de crítica, principalmente de usuários mexicanos, que consideram que o programa “manipulava” as crianças e tinha nuances “classistas”.

Após a morte de Chespirito, a revista Forbes estimou que “Chaves” reportou à Televisa cerca de US$ 1,7 bilhão até 2014.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem