Augusto Diniz | Música brasileira

Quinteto violado e Banda de Pau e Corda mostram o cancioneiro autêntico

O registro ao vivo dos grupos juntos – cada um com 50 anos de estrada – expressa com propriedade as raízes musicais nordestinas

Foto: Ayrá Mendes/Divulgação
Foto: Ayrá Mendes/Divulgação

O álbum Na Estrada – Ao Vivo reúne dois grupos que sintetizam a arte em letra e melodia do cancioneiro autêntico, rural e urbano, ligado às tradições nordestinas com arranjos contemporâneos – neste caso, a proposta é mostrar uma cultura popular em movimento sem perder de vista as raízes.

Os grupos em questão são os pernambucanos Quinteto Violado e a Banda de Pau de Corda. O disco com ambos, recém-lançado pela Biscoito Fino e disponível nas plataformas de música, foi gravado no dia 14 de março de 2020, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte (MG). Poucos dias depois, a turnê, que estava se iniciando com passagem em várias cidades, foi cancelada devido à pandemia.

O Quinteto Violado completou 50 anos em 2021 e a Banda de Pau e Corda comemora seu cinquentenário neste ano. Os dois são um marco da expressão musical tradicional e na formação dos grupos seus componentes já se conheciam. A expectativa é de que retomem a mesma turnê em março deste ano.

Nessa gravação, os grupos tocam seus repertórios, incluindo composições próprias e clássicos do cancioneiro. As interpretações são realizadas com propriedade e refletem a persistência de fazer um trabalho musical comprometido.

No disco, entre as músicas apresentadas estão o pot-pourri Lampião, Têmpera (ambas de Waltinho e Roberto Andrade) e Só de Brincadeira (Waltinho); depois o pot-pourri Lamento Sertanejo ou Forró de Dominguinhos (Dominguinhos e Gilberto Gil) e Sete Meninas (Dominguinhos e Toinho Alves); Mestre Mundo (Luiz Bandeira e Julinho); Palavra Acesa (Fernando Filizola e José Chagas); o pot-pourri Cavalo Marinho (música tradicional adaptada por Fernando Filizola e Luciano Pimentel) e Mundão (Fernando Filizola e Luciano Pimentel); e, encerrando, Pipoca Moderna (Sebastião Biano e Caetano Veloso) e A Briga do Cachorro com a Onça (Sebastião Biano).

O Quinteto Violado é integrado por Marcelo Melo, único remanescente da formação original do grupo (voz e violão), Ciano Alves (flauta), Roberto Medeiros (bateria, percussão e voz), Dudu Alves (teclado e voz) e Sandro Lins (contrabaixo)

Já a Banda de Pau e Corda é composta por Sérgio Andrade, único membro da época da criação do grupo (voz e percussão), Júlio Rangel (viola e vocal), Zé Freire (violão e vocal), Iko Brasil (flauta), Sérgio Eduardo (contrabaixo) e Alexandre Baros (bateria, percussão e vocal).

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!