Cultura

Morre aos 82 anos Sérgio Mamberti, estrela que uniu arte e militância política

O ator estava internado em São Paulo por conta de uma infecção pulmonar

Sérgio Mamberti é empossado presidente da Fundação Nacional de Artes, a Funarte, em 2008 (MARCOS D'PAULA/ESTADÃO CONTEÚDO/AE)
Sérgio Mamberti é empossado presidente da Fundação Nacional de Artes, a Funarte, em 2008 (MARCOS D'PAULA/ESTADÃO CONTEÚDO/AE)
Apoie Siga-nos no

Morreu na madrugada desta sexta-feira 3, aos 82 anos, o ator, diretor de teatro, autor, produtor e político Sérgio Mamberti. Ele estava internado em São Paulo por conta de uma infecção pulmonar.

 

Dono de uma sólida carreira que mescla arte e militância, Mamberti tem no currículo mais de 80 peças teatrais, quase 50 longas-metragens e 30 telenovelas, com participações desde a época das tevês Excelsior e Tupi e depois na Globo e Cultura. É lembrado por personagens que roubam a cena, literalmente, como o do copeiro Eugênio, da novela Vale Tudo, o sábio Doutor Victor, do programa infantil Castelo Rá-Tim-Bum, e o vilão Dionísio Albuquerque, da novela Flor do Caribe.

Nascido em Santos, filho de pais agitadores culturais, Mamberti e o irmão, Claudio, ajudaram a fundar o PT e participaram ativamente da elaboração dos planos de cultura do partido. Sérgio Mamberti ocupou diversos cargos no Ministério da Cultura ao longo do governo Lula e no primeiro mandato de Dilma Rousseff, deixando o ministério em 2013.

Em julho, Mamberti havia sido hospitalizado para tratar de uma pneumonia e chegou a passar pela UTI, mas foi liberado depois de quase 15 dias.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.