Inquietação vivida na pandemia conduz novo álbum do Mundo Livre S/A

Vocalista Fred Zero Quatro conta que as aflições do período e o momento crítico foram o motor para a criatividade; disco sai em novembro

Foto: Tiago Calazans/Divulgação

Foto: Tiago Calazans/Divulgação

Cultura

Os dois singles que já saíram do novo disco do grupo pernambucano Mundo Livre S/A revelam o caminho tomado no 10º álbum da banda, com previsão de ser lançado em novembro.

Baile Infectado é uma crítica ao distanciamento social não cumprido por muita gente. Trata de forma metafórica das festas e aglomerações ocorridas clandestinamente em meio à pandemia.

O segundo single lançado é Usura Emergencial, relacionado ao paradoxo da restrita riqueza e o alastramento da pobreza, com a palavra eugenia mencionada no refrão. Segundo o líder do Mundo Livre S/A, Fred Zero Quatro, a “eugenia” acabou, de certa forma, se “revelando” depois na CPI da Covid.

“Angústia social com a pandemia e a separação (conjugal). O escape foi compor”, explica o vocalista, que vê um lado positivo de toda essa inquietação: “Um dos motores da inspiração é a angústia. A aflição é um motor da criatividade”.

Nessa direção, o novo disco foi sendo realizado. “Os dois singles apresentados refletem diretamente este período da quarentena: a agonia da pandemia”, aponta.

O novo álbum da banda terá 10 faixas, todas composições de Fred Zero Quatro. Nove são inéditas e uma é releitura de um clássico do grupo e tem a participação da cantora Doralyce.

O disco conta também com a participação de Jorge du Peixe, do Nação Zumbi, numa faixa que “lembrará a sonoridade mais Manguebeat”, segundo Fred – Mundo Livre S/A surgiu no movimento do Manguebeat nos anos 1990.

A ideia inicial era lançar um EP no final do ano passado, mas na medida em que os integrantes da banda foram se encontrando, ainda que de forma tensa por causa da pandemia, verificou-se que havia músicas para fazer um álbum, explica o vocalista.

Outra composição que vai entrar no disco, ainda não apresentada, chama-se Cacos. Uma referência aos copos que foram inseparáveis na pandemia. Na música de Fred, um com whisky se espatifou no chão numa sexta-feira.

Além de Fred Zero Quatro (cavaquinho e voz), Mundo Livre S/A é formado por Xef Tony (bateria e backing vocal), Pedro Diniz (baixo e backing vocal), Léo D. (sintetizadores, teclado e programações) e Pedro Santana (percussão). Os arranjos do novo álbum foram feitos em conjunto, mas de forma remota. O disco sairá pelo selo Estelita.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Jornalista há 25 anos, com passagem em diversas editorias. Foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Compartilhar postagem