Confirmado: Mário Frias é o novo secretário de Cultura

Desde que Regina Duarte deixou o cargo, Frias é apontado como o favorito para substituí-la

Mario Frias - Foto: Divulgação

Mario Frias - Foto: Divulgação

Cultura

O presidente Jair Bolsonaro nomeou o ator Mário Frias como novo secretário de Cultura do governo. A decisão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União nesta sexta-feira 19.

Desde que Regina Duarte deixou o cargo, Frias é apontado como o favorito para substituí-la. O ator será o quinto secretário da Cultura da gestão Bolsonaro.

Nas redes sociais, o ator costuma elogiar o presidente e compartilhar publicações de políticos aliados. Na véspera da demissão de Regina Duarte, Frias almoçou no Palácio do Planalto com Bolsonaro e representantes de Flamengo e Vasco.

Em seus perfis, ele costuma usar a hashtag #fechadocombolsonaro para defender o uso da cloroquina no tratamento do coronavírus e para criticar políticos como Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara.

O carioca tem 48 anos e ficou conhecido nos anos 1990 como o galã do seriado adolescente Malhação, da TV Globo. Antes disso, participou do Caça Talentos. Na emissora, atuou ainda em Meu Bem Querer, O Beijo do Vampiro, O Quinto dos Infernos, Senhora do Destino e Verão 90, entre outras novelas. Na Band, fez Floribella. Na Record, Os Mutantes e A Terra Prometida. Mário Frias é também apresentador e comandou programas como Tô de Férias, no SBT, e Super Bull Brasil, na RedeTV!.

Na Secretaria de Cultura, Frias vai lidar com temas como economia criativa, direitos autorais, preservação do patrimônio histórico e democratização do acesso a teatros e museus.

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem