CartaExpressa

‘Verás que um filho teu não foge à luta’, disse Zé Trovão antes de se entregar

‘Verás que um filho teu não foge à luta’, disse Zé Trovão antes de se entregar

'Não sei quanto tempo eu passarei no cárcere, mas saibam que tudo isso é pelo Brasil, é por cada ser humano, cidadão de bem'

Créditos: Reprodução Redes Sociais

Créditos: Reprodução Redes Sociais

O caminhoneiro bolsonarista  Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, divulgou um vídeo em seu canal no Telegram antes de se entregar à Polícia Federal, em Joinville (SC), nesta terça-feira 26.

“Vocês, com certeza, receberão a notícia do Brasil inteiro que neste dia 26 de outubro de 2021, eu me entreguei à Justiça brasileira, me apresentei à Justiça brasileira, porque como diz o nosso hino ‘Verás que um filho teu não foge à luta’, eu jamais iria abandonar o povo brasileiro”, disse em um trecho da publicação.

“Não sei quanto tempo eu passarei no cárcere, mas saibam que tudo isso é pelo Brasil, é por cada ser humano, cidadão de bem”, acrescentou.

 

 

Zé Trovão era considerado foragido da Justiça desde o dia 3 de setembro, quando o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, expediu um mandado de prisão. Desde 20 de agosto, o caminhoneiro também está proibido por ordem judicial de se aproximar de um raio de um quilômetro da Praça dos Três Poderes, em Brasília.

A mesma proibição vale para o cantor Sérgio Reis, o deputado Otoni de Paula e outras nove nove pessoas que, segundo investigação, defendiam um “levante” em Brasília no 7 de Setembro.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem