CartaExpressa

TJ-SP suspende liminar que previa vacinação imediata de população carcerária

TJ-SP suspende liminar que previa vacinação imediata de população carcerária

Créditos: EBC

Créditos: EBC

O Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu, na sexta-feira 23, liminar que determinava a vacinação imediata de todos os presos do sistema carcerário paulista. O presidente do TJ, Geraldo Francisco Pinheiro Franco, acatou argumentação da Procuradoria Geral do Estado, de que a vacinação está acontecendo de acordo com a faixa etária.

A liminar, que estabelecia prazo de 15 dias para vacinar toda a população carcerária, era de autoria da Defensoria Pública de São Paulo, que apontava omissão por parte do governo. Até o momento, foram vacinados 56 mil mil presos no estado.

Em nota, o governo disse que ‘a população privada de liberdade é mais jovem que a população em geral, assim a expectativa é que a vacinação avance a partir do mês de agosto, considerando a ampliação das faixas etárias elegíveis para a vacinação pelo PEI (Programa Estadual de Imunização)”.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem