CartaExpressa

SP: Padre Lancelotti leva flores a viadutos onde Prefeitura instalou pedras

A gestão Covas (PSDB) justificou que a instalação dos paralelepípedos foi ato isolado cometido por um funcionário já exonerado

Créditos: Henrique de Campos/Divulgação Créditos: Henrique de Campos/Divulgação
Apoie Siga-nos no

O padre Júlio Lancelotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo, colocou flores nos lugares dos paralelepípedos que a Prefeitura mandou instalar sob dois viadutos da cidade, e retirou depois de repercussão negativa.

O ato aconteceu no sábado 6 como protesto à gestão do prefeito Bruno Covas (PSDB), responsável pela obra que foi vista como higienista e feita para impedir que pessoas em situação de rua se alojassem sob as estruturas.

As pedras tinham sido colocadas sob os viadutos Dom Luciano Mendes de Almeida e Antônio de Paiva Monteiro, localizados na Avenida Salim Farah Maluf.

Antes da retirada das pedras por parte da Prefeitura, o padre foi até o local e começou a quebrá-las a marretadas.

A pasta justificou que a decisão de instalar os paralelepípedos foi tomada de forma isolada por um funcionário, que já foi exonerado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar