CartaExpressa

Sem usar máscara, Bolsonaro participa de encontro com motociclistas em Brasília

Presidente voltou a promover aglomerações e falar sobre ‘direito de ir e vir’

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O presidente Jair Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada na manhã deste domingo, 09, para um passeio de motocicleta pelas ruas de Brasília. O chefe do Executivo recebeu os motociclistas em frente a residência oficial.

Mais uma vez o ex-capitão desrespeitou um decreto estadual do Distrito Federal e não utilizou máscara de proteção para a Covid-19.

Bolsonaro falou sobre o passeio na última quinta-feira, 06, durante a transmissão semanal do presidente. Na ocasião, o presidente disse que o encontro deveria contar com a participação de cerca de mil motos.

“A gente não vai estar indo para comunidade porque eu acredito que mais de mil motos vão se fazer presentes. Estou muito feliz. Pessoal quer me acompanhar em um passeio. Todo mundo tem o direito de ir e vir”, afirmou.

Mais cedo, pelo Facebook, o presidente postou uma foto ao lado da mãe, Olinda Bolsonaro, para celebrar o dia Dia das Mães, comemorado neste domingo. Na legenda, escreveu apenas “Feliz Dia das Mães. Obrigada Sra. Olinda”.

ENTENDA MAIS SOBRE: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar