CartaExpressa

Secretário do PT é solto após ser detido com adesivo ‘Bolsonaro genocida’

Secretário do PT é solto após ser detido com adesivo ‘Bolsonaro genocida’

Os policiais atuaram o petista na Lei de Segurança Nacional

Arquidones Bites foi solto nesta terça- feira 1. Foto: Reprodução/Twitter.

Arquidones Bites foi solto nesta terça- feira 1. Foto: Reprodução/Twitter.

O secretário estadual de Goiás do Partido dos Trabalhadores (PT), Arquidones Bites, foi solto pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira 1 após ser detido por se recusar a tirar do seu carro um adesivo escrito ‘Bolsonaro genocida’.

Os policiais atuaram o petista na Lei de Segurança Nacional, motivo pelo qual ele foi levado até a delegacia de Goiânia. Segundo o secretário, além da prisão, ele quase foi enforcado e levou empurrão e soco.

Na porta da delegacia em que Bites estave detido, manifestantes protestaram contra a prisão e o presidente da Republica.

Bites foi vereador de Trindade por dois mandatos. É professor e secretário de movimentos populares do PT goiano.

Por enquanto, corre uma ação interna contra o policial militar envolvido na autuação, que foi afastado das funções operacionais.

“A Polícia Militar não compactua com qualquer tipo de abuso de autoridade. Todas as condutas que extrapolem os limites da lei são apuradas com o rigor pertinente”, disse a nota da corporação.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem