CartaExpressa,Política

Secretário de Guedes tem dois fundos beneficiados em licitação do BNDES

Secretário de Guedes tem dois fundos beneficiados em licitação do BNDES

O banco público previu repasse de 4 bilhões a fundos que emprestariam dinheiro para micro e pequenas empresas

O ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Sergio Lima/AFP

O ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Sergio Lima/AFP

Dois fundos de investimento ligados ao secretário Especial de Desburocratização do Ministério da Economia, Caio Paes de Andrade, foram beneficiados em uma licitação pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). As informações são do jornal Estado de S. Paulo.

Um dos fundos contemplados, o Libra Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios, é gerido pela empresa Captalys Gestão LTDA, da qual é sócia a empresária Margot Alyse Greenman, esposa de Paes de Andrade. O outro, BSA FIC FIDC, era gerido por uma empresa que tinha em seu quadro societário a Finvest Finanças e Investimentos S.A, da qual o secretário era integrante do conselho de administração. Paes de Andrade atuou no conselho até 5 de novembro de 2020, ou seja, era integrante enquanto acontecia a licitação.

O BNDES previu um repasse de 4 bilhões, via licitação, em maio do ano passado, a fundos de investimentos que emprestariam dinheiro para micro e pequenas empresas. O repasse de dinheiro aos fundos seria uma estratégia de fazer com que o dinheiro chegasse mais rápido no mercado. Na época, o governo federal lançou iniciativas como o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e o Programa Capital de Giro.

À reportagem, Paes afirmou não ter influenciado na licitação. O secretário chegou ao Ministério da Economia em agosto de 2020, para substituir o economista Paulo Uebel, que saiu do ministério comandado por Paulo Guedes descontente com a falta de progresso da reforma administrativa no Congresso.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem