CartaExpressa

Secretária do Ministério da Saúde admite que difundiu cloroquina em Manaus

Secretária do Ministério da Saúde admite que difundiu cloroquina em Manaus

Mayra Pinheiro foi auxiliar de Pazuello e segue na pasta

Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde Foto: Alan Santosl/PR

Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde Foto: Alan Santosl/PR

A secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “Capitã Cloroquina”, confirmou ao Ministério Público Federal que ela foi a responsável pelo planejamento de uma comitiva de médicos que difundiu o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19 em Manaus, dias antes de o sistema de saúde do Amazonas entrar em colapso.

Mayra foi auxiliar do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e segue na pasta comandada por Marcelo Queiroga.

No depoimento, obtido e divulgado pelo jornal O Globo nesta quinta-feira 6, Mayra afirma que a função das visitas era orientar profissionais de saúde sobre as alternativas para o tratamento da Covid-19 na cidade que enfrentava um aumento vertiginoso no número de casos e de mortes causados pela doença.

A promoção de remédios sem eficácia e as ações do Ministério da Saúde antes e durante o colapso em Manaus são alvo das investigações da CPI da Covid no Senado.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem