CartaExpressa,Política

‘Se quer ser presidente, tem que respeitar as pessoas’, diz Lula sobre Ciro Gomes

‘Se quer ser presidente, tem que respeitar as pessoas’, diz Lula sobre Ciro Gomes

O pedetista referiu-se à ex-presidenta Dilma Rousseff como um 'aborto'

Lula e Ciro. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Lula e Ciro. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Lula afirmou, nesta quarta-feira 10, que seu ex-ministro Ciro Gomes precisa respeitar as pessoas se quiser ser presidente.

“Não pode falar as meninices que ele achava engraçadas quando era jovem. Não pode ofender a Dilma como ofendeu. Ele acha que é o quê?”, questionou o petista, em discurso no sindicato dos metalúrgicos do ABC.

Em entrevista concedida ao UOL na segunda-feira 8, Dia Internacional da Mulher, o provável candidato do PDT à Presidência em 2022 referiu-se à ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) como um “aborto”.

“O tratamento que ele deu para a Dilma é desrespeitoso. Ele tem chance. Se aos 64 anos não aprendeu, tem chance ainda. Se chegar aos 70 com essa ignorância, não vai aprender mais nada”, afirmou Lula.

 

 

No mesmo dia, a ex-presidente Dilma também se manifestou sobre a fala de Ciro. “É vergonhoso e lamentável. Ciro parece querer ser uma variante de Bolsonaro e, para isso, ataca a mim, a Lula e ao PT. O discurso de ódio é igual”, disse.

Lula e Ciro são possíveis candidatos à presidência em 2022. Aliados no passado, ambos trocam ataques e distanciam o almejado acordo da esquerda para barrar o bolsonarismo.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem