CartaExpressa,Saúde

Queiroga pede que países enviem doses extras de vacina ao Brasil

Queiroga pede que países enviem doses extras de vacina ao Brasil

Discurso do ministro em conferência com a OMS ainda visou estreitar laços com a China

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez um apelo nesta sexta-feira 30, em uma teleconferência com a Organização Mundial da Saúde, para que países que possuem excedentes de vacinas contra a Covid-19 compartilhem-nas com o Brasil.

“Reiteramos nosso apelo àqueles que possuem doses extras de vacinas para que possam compartilhá-las com o Brasil o quanto antes possível, de modo a nos permitir avançar em nossa ampla campanha de vacinação, para conter a fase crítica da pandemia e evitar a proliferação de novas linhagens e variantes do vírus”, discursou o ministro.

Queiroga também afirmou que, no Brasil, há um projeto “claro” e “objetivo” para promover medidas não farmacológicas de combate ao coronavírus, como o uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento social. O ministro não fez referência ao chamado “tratamento precoce”.

No breve discurso, o ministro ainda afirmou que o País conta “com a cooperação fundamental da República Popular da China”, principal exportadora do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) das vacinas Coronavac e AstraZeneca/Universidade de Oxford.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem