CartaExpressa

Queiroga não responde se concorda com Bolsonaro sobre cloroquina

Queiroga não responde se concorda com Bolsonaro sobre cloroquina

A recusa abriu uma discussão entre os senadores na CPI da Covid

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se recusou a responder sua posição sobre o uso de medicamentos sem eficácia comprovada para a Covid-19, como a cloroquina e a ivermectina.

Em depoimento na CPI da Covid nesta quinta-feira 6, o ministro disse ao senador Renan Calheiros (MDB-AL) que essa é uma posição que precisa de uma análise técnica.

O tratamento é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro e já foi motivo de demissão de dois ministros da Saúde (Mandetta e Teich).

A recusa de Queiroga abriu uma discussão entre os senadores. O ministro está na CPI como testemunha, então é obrigado por lei a falar a verdade. Esse fato, no entanto, foi questionado pelos governistas, que alegam que a opinião não deve ser uma obrigação.

Segundo Queiroga, o presidente não pressiona o ministério para o uso destes medicamentos.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem