CartaExpressa

‘Qualquer ato de ruptura não deve ser tolerado’, diz Lira sobre o 7 de Setembro

O presidente da Câmara, porém, negou preocupação com a mobilização e disse estar acostumado com atos de rua desde 2013

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), se pronunciou nesta quinta-feira 25 sobre os protestos convocados por bolsonaristas para 7 de setembro, Dia da Independência. Ele negou preocupação com a mobilização e disse estar acostumado com atos de rua desde 2013.

“Peço que quem quiser ir à rua protestar, vá com paciência, parcimônia e sentimento de paz. A democracia tem de ser respeitada. Qualquer ato de ruptura institucional ou de de desrespeito às instituições não deve ser tolerado, porque isso não ajudará vencidos ou vencedores. É importante que a democracia seja exercida, e a rua é o lugar do povo”, disse Lira ao chegar à Câmara nesta tarde.

Ele pediu “protestos construtivos, que tragam reflexão para as instituições”. Também repetiu que defende “a autocontenção dos três Poderes”.

Nesta quinta, Jair Bolsonaro confirmou, em entrevista à Rádio Jornal, de Pernambuco, que comparecerá à Avenida Paulista, em São Paulo, em 7 de setembro. “[Pretendo], em um pronunciamento mais demorado, falar com a população, dar uma mensagem de esperança e também mostrar para o mundo o quanto o povo está preocupado com o seu futuro”, declarou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!