CartaExpressa

Polícia indicia mulher que chicoteou entregador por lesão corporal, injúria e perseguição

O relatório cita um ‘arsenal de ódio’ disparado por Sandra Mathias Correia de Sá contra as vítimas; uma mulher também foi agredida

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou a mulher que agrediu um entregador com a coleira de seu cachorro por lesão corporal, injúria e perseguição.

O relatório do inquérito, revelado nesta terça-feira 20 pela TV Globo, cita um “arsenal de ódio” disparado por Sandra Mathias Correia de Sá contra as vítimas. A mulher chicoteou o entregador Max Ângelo e mordeu a perna da entregadora Viviane Maria. Os casos aconteceram em 9 de abril, na Estrada da Gávea.

“As acintosas e aviltantes ofensas, relacionadas à origem social das vítimas, impuseram às mesmas perversa estigmatização e odiosa inferiorização”, diz um trecho do documento.

Segundo os investigadores, Sandra mantinha a postura de intimidar entregadores de diversas formas há pelo menos dois anos.

A indiciada já tem outras passagens pela polícia: em 2007, por lesão corporal; em 2012, por injúria e ameaça; e em 2021, por furto de energia na Praia do Leblon. Sandra também responde a um inquérito na Polícia Federal por fraude em licitação.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar