CartaExpressa

Polícia conclui que queda de rocha no Capitólio não teve relação com ação humana

A investigação concluiu que o incidente foi um ‘evento natural’ e pediu o arquivamento do inquérito. O desabamento deixou 10 mortos

Créditos: Divulgação CBMMG
Créditos: Divulgação CBMMG
Apoie Siga-nos no

A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu que a queda do paredão rochoso em Capitólio, Minas Gerais, em 8 de janeiro, não foi consequência de intervenção humana. A investigação concluiu que o incidente foi um ‘evento natural’ e pediu o arquivamento do inquérito. O desabamento deixou 10 mortos.

Com isso, ninguém foi indiciado. “Nós averiguamos eventuais irregularidades do empreendimento, mas essas irregularidades não estão conexas com o tombamento da placa rochosa. Se houvesse (conexão), indiciaríamos responsáveis pelos dez homicídios, o que não ficou comprovado”, afirmou o delegado regional de Passos, Marcos Pimenta.

A Polícia, no entanto, elaborou dez sugestões que devem ser encaminhadas aos órgãos e instituições responsáveis pela fiscalização no local. O desprendimento de novas rochas não foi descartado.

Estão entre as sugestões: a realização de mapeamento de todas as zonas de risco (movimento de massas) por geólogos e/ ou outros profissionais especializados no ramo e sua demarcação em campo e em planta; a diminuição de embarcações nos cânions, que devem adentrar o local com velocidade baixa e sem uso de aparelho sonoro; a identificação dos turistas que estiverem nas embarcações, que devem utilizar coletes salva-vidas e capacetes; e a proibição de passeios turísticos quando houver comunicação de advertência pela Defesa Civil.

No dia do ocorrido, cerca de duas horas antes do acidente, a Defesa Civil de Minas Gerais tinha emitido um alerta sobre chuvas intensas e a possibilidade de ocorrências de cabeça d’água em Capitólio.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.