CartaExpressa

PM mata um dos líderes do PCC no litoral de São Paulo

Segundo a SSP, Danone atuava com o tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e no chamado tribunal do crime; mortes causadas pela polícia na região chegam a 26

Operação Escudo - Mastrangelo Reino/Governo de SP
Apoie Siga-nos no

A Polícia Militar anunciou, nesta sexta-feira 16, a morte de um dos líderes do Primeiro Comando da Capital, no Guarujá, no curso da operação militar na Baixada Santista. Dois comparsas também morreram na operação.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que policiais do Comando e Operações Especiais (COE) foram a um apartamento no bairro Santa Cruz dos Navegantes, após denúncias, e foram recebidos a tiros por três criminosos. No confronto, os três foram atingidos pelos agentes de segurança e morreram no local.

Um dos mortos é Rodrigo Pires dos Santos, conhecido como Danone, que, segundo a pasta, atuava com o tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e no chamado tribunal do crime. Ele também era suspeito de ter atentado contra agentes públicos.

A SSP relatou que Danone, líder do PCC na região, foi flagrado atirando contra uma embarcação da Receita Federal, em 2015, e era apontado como um dos responsáveis pela morte de um sargento, em 2012. Em novembro do ano passado, após uma operação da Polícia Civil com a Marinha, as forças de segurança localizaram em sua casa um fuzil, duas pistolas e vasta quantidade de entorpecentes.

As mortes acontecem no contexto da Operação Verão, iniciativa anunciada para combater a criminalidade na região. A SSP contabiliza 26 mortes de civis em confrontos com a polícia no âmbito da ação.

Ainda de acordo com a pasta, 634 criminosos foram presos, incluindo 236 procurados pela Justiça. Além disso, foram apreendidos mais de 147 quilos de drogas e 72 armas ilegais, incluindo fuzis de uso restrito.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.