CartaExpressa

Pfizer prova à CPI que governo ignorou e-mails sobre vacinas

Pfizer prova à CPI que governo ignorou e-mails sobre vacinas

Os documentos mostram que Pazuello mentiu ao dizer que o ministério respondeu as propostas da farmacêutica

(Foto: Reprodução/TV Senado)

(Foto: Reprodução/TV Senado)

A Pfizer entregou à CPI da Covid do Senado Federal e-mails que mostram a insistência da farmacêutica para negociar vacinas com o governo brasileiro e a ausência de respostas conclusivas do Ministério da Saúde à proposta apresentada pela empresa no meio do ano passado.

Os documentos foram obtidos e divulgados pela Folha de S.Paulo. O material entregue pela Pfizer indica que o ex-ministro da saúde, Eduardo Pazuello, mentiu em seu depoimento na CPI ao dizer que houve resposta da pasta a proposta da Pfizer.

A primeira oferta da empresa foi formalizada ao Brasil em 14 de agosto, de 30 milhões e 70 milhões de doses, e tinha validade até o dia 29 daquele mês.

Ao todo, foram 10 e-mails ignorados pelo governo brasileiro.
O Ministério da Saúde brasileiro só firmou acordo com o laboratório em março de 2021, quando adquiriu 100 milhões de doses —das quais 14 milhões devem ser entregues até junho, e o restante até setembro deste ano.​
Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem