CartaExpressa

PF conclui investigação e indicia servidora que aplicou provas por vazamento do Enem

Crime pode gerar uma pena de reclusão de um a quatro anos e multa

Foto: Angelo Miguel/MEC
Apoie Siga-nos no

A Polícia Federal concluiu nesta sexta-feira 17 as investigações e identificou a pessoa responsável por realizar o vazamento da prova do Enem realizada em 2023.

De acordo com a PF, o inquérito teve início no dia seguinte à prova do Enem, na cidade de Caruaru (PE), em razão da descoberta das primeiras publicações da prova de redação antes mesmo da divulgação do conteúdo da prova pelo Inep.

A investigação concluiu que uma pessoa contratada para aplicar a prova do ENEM na cidade de Belém (PA) tirou uma foto da prova de redação às 13h50, quando a prova ainda estava em andamento, e encaminhou a uma amiga, professora.

Ela foi indiciada por divulgar de forma indevida conteúdo sigiloso em processo seletivo. O crime pode gerar uma pena de reclusão de um a quatro anos e multa.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar