CartaExpressa

Campanha de Pazuello a deputado federal tem R$ 500 mil em ‘recursos próprios’

O ranking tem a liderança do coach e influencer Pablo Marçal (PROS), que ‘doou’ R$ 551 mil para si mesmo

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

A campanha do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello (PL-RJ) a deputado federal conta com 500 mil reais transferidos de “recursos próprios”, de acordo com a plataforma DivulgaCand, do Tribunal Superior Eleitoral.

O ranking tem a liderança do coach e influencer Pablo Marçal (PROS), que “doou” 551 mil reais para si mesmo. Ele, porém, tem a candidatura a presidente da República em xeque devido a disputas judiciais pelo comando do partido.

Na terça 23, o TSE publicou a decisão do ministro Alexandre de Moraes, presidente da Corte, que transfere a Lula (PT) os 10 segundos do tempo de propaganda eleitoral gratuita do PROS.

Completam o top 5 de autofinanciadores Álvaro Dias (Podemos-PR), com 440 mil reais; Flávia Arruda (PL-DF), com 380 mil; e Mário Heringer (PDT-MG) e Misael Varella, com 310 mil cada.

Em nota enviada a CartaCapital, a equipe da campanha de Pazuello afirmou ter retificado o relatório de prestação de contas. “O valor apontado pela reportagem tem origem, na verdade, do fundo eleitoral recebido do diretório nacional do PL, sem ter qualquer quantia de recurso próprio do candidato a deputado federal pelo RJ”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar