CartaExpressa

Pazuello: Bolsonaro nunca me deu ordens diretas para nada

Pazuello: Bolsonaro nunca me deu ordens diretas para nada

O ex-ministro da Saúde, no entanto, admitiu que o presidente deu algumas orientações

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello negou, nesta quarta-feira 19, durante depoimento à CPI da Covid, que recebeu ordens diretas do presidente Jair Bolsonaro. O general, no entanto, admitiu que Bolsonaro deu algumas orientações.

“As orientações foram fazer as coisas andar o mais rápido possível. Só aceite qualquer coisa que eu te fale”, afirmou.

“Eu levava as ideias para o presidente.  Eu procurava levar ao presidente a minha visão em cada momento, como foi Manaus. Eu vim de Manaus, eu vi que naquele momento a pandemia se alastrava pelo Norte e Nordeste e no Rio e São Paulo. Essas observações eram as que eu levava. As conversas eram em altíssimo nível para trazer soluções”, acrescentou.

No depoimento, Pazuello disse que se reunia com o presidente “menos do que eu gostaria”. “Uma vez por semana, a cada duas semanas. Se pudesse voltar atrás teria ido mais vezes conversar com ele”.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem