CartaExpressa,Economia,Política

Guedes defende ‘bolsa’ de 200 reais para que jovens trabalhem como pedreiros ou mecânicos

Guedes defende ‘bolsa’ de 200 reais para que jovens trabalhem como pedreiros ou mecânicos

Paulo Guedes, ministro da Economia, e suas teimosias. 
Foto: Alan Santos/PR

Paulo Guedes, ministro da Economia, e suas teimosias. Foto: Alan Santos/PR

Em longa entrevista ao jornal O Globo, o ministro da Economia Paulo Guedes defendeu a criação de uma espécie de bolsa para a jovens ‘nem-nem’, que não estudam e nem trabalham.

Batizada de Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), a iniciativa pagaria, segundo Guedes, entre 200 e 300 reais ao beneficiário. Em troca, ele teria que “bater ponto” e ser “treinado para o mercado de trabalho”. “Ele vai ser servente de pedreiro, mecânico… É uma oportunidade.”

Ainda segundo o ministro, as empresas não seriam obrigadas a oferecer nenhuma contrapartida. “Zero. Ajuda o Brasil, treina o menino. Estamos estudando. Isso deve vir rápido para esse segmento dos invisíveis.”

“Ele é a vítima da nossa legislação trabalhista. Quando você bota lá o salário mínimo, um rapaz filho de uma classe média, que estudou em uma boa universidade, fala duas línguas, ele consegue emprego com salário mínimo”, explicou.

Para Guedes, a medida serviria como ‘plano B’ da recuperação econômica. “A primeira coisa é a vacinação em massa”. Na entrevista, Guedes também admitiu que tomou a Coronavac.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Post Tags
Compartilhar postagem