CartaExpressa

Papa Francisco disse que continuará atuando como praga contra exclusão e desigualdade

Papa Francisco disse que continuará atuando como praga contra exclusão e desigualdade

'E continuo questionando. E questiono todos, em nome de Deus', declarou o pontífice ao também cobrar diminuição de disparidade vacinal

O Papa Francisco. Foto: AFP

O Papa Francisco. Foto: AFP

O papa Francisco declarou, no sábado 16, que muitas pessoas, incluindo integrantes da Igreja, o consideram uma ‘praga’ por defender os pobres e mais vulneráveis o que, segundo o pontífice, não o impedirá de continuar atuando e que isso faz parte do cristianismo.

“Pensando nessas situações (de exclusão e desigualdade), eu me torno uma praga com as minhas questões. E continuo questionando. E questiono todos, em nome de Deus”, disse Francisco durante uma ligação de vídeo com o Encontro Mundial de Movimentos Populares.

Durante a reunião, ele também solicitou que as empresas farmacêuticas façam a quebra de patentes de vacinas contra a Covid-19 para que os insumos possam chegar aos mais pobres e frear a desigualdade vacinal. Alguns países tiveram apenas de 3 a 4% de sua população vacinada.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem