CartaExpressa

Pacheco: Senado deve rejeitar a volta das coligações partidárias

A PEC da Reforma Eleitoral foi aprovada pela Câmara dos Deputados e e será apreciada pela Casa Alta

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou nesta quarta-feira 18 que a tendência é de que a Casa rejeite a proposta de reforma eleitoral aprovada pela Câmara que retoma as coligações em eleições proporcionais a partir de 2022. “Há uma tendência de manutenção do sistema atual”, declarou, ao confirmar que levará o tema para apreciação no plenário dentro do prazo.

“A tendência é de manutenção do sistema político tal como é hoje, um sistema proporcional, sem coligações, com a cláusula de desempenho, para que possamos projetar ao longo do tempo um cenário que vai ser positivo, de menos partidos políticos e consequentemente de melhor legitimidade da população”, disse o parlamentar a jornalistas.

Pacheco se mostrou contrário à proposta de reforma eleitoral, mas reforçou que o Senado deve se debruçar sobre o tema. Antes de ser levada ao plenário, a PEC será apreciada pela Comissão de Constituição e Justiça, que tem como líder o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“É uma Proposta de Emenda à Constituição, deve ser submetida à CCJ, o presidente Davi Alcolumbre deverá, então, pautar essa matéria e, na sequência, vem ao plenário. Tudo dentro de um tempo, o mais rápido possível, para que haja um pronunciamento definitivo em relação a essa matéria”, completou, ao reforçar que não há como garantir convergência com o projeto da Câmara, presidida por Arthur Lira (PP-AL).

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.