CartaExpressa

Oposição quer sepultar voto impresso antes da proposta chegar ao Plenário

Oposição quer sepultar voto impresso antes da proposta chegar ao Plenário

'Tirando os aloprados e radicais, o restante sabe o limite exato até onde pode ir para não colocar em risco a democracia', diz deputado

(FOTO: Pablo Valadares/Ag.Câmara)

(FOTO: Pablo Valadares/Ag.Câmara)

A oposição ao presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados quer enterrar a proposta de voto impresso ainda na comissão especial do Congresso, ou seja, antes mesmo que chegue ao Plenário da Casa.

Parlamentares acreditam que, caso o texto do deputado Felipe Barros (PSL-PR) seja aprovado na comissão, a dificuldade para barrá-lo pode se tornar maior. A sessão estava marcada para às 14h desta quinta-feira 5, mas foi adiada duas vezes: primeiro para às 18h e, agora, para às 20h.

A demora fez o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmar que a proposta pode ser avocada pelo Plenário se a comissão especial ultrapassar as 40 sessões da Câmara sem conseguir aprovar o relatório, ou mesmo se ele for rejeitado.

“As comissões especiais não são terminativas, são opinativas, então sugerem o texto, mas qualquer recurso ao Plenário pode ser feito”, disse.

O líder da bancada do PT na Casa, Bohn Gass (PR), declarou a CartaCapital que o “esforço é evitar ir ao Plenário sem ter sido votado na comissão”. Rogério Correia (PT-MG) acrescentou que o objetivo “é sepultar na comissão”, porque no “Plenário é correr muito risco”.

Mesmo que o texto seja aprovado na comissão, alguns deputados não veem facilidade na aprovação.

Para Junior Bozzella (PSL-SP), “existe um senso crítico muito apurado entre a maioria dos parlamentares que compõem a Câmara”.

“Tirando os aloprados, radicais e puxa-sacos de primeira hora, o restante sabe o limite exato até onde pode ir para não colocar em risco a nossa democracia. Acho muito difícil a irresponsável proposta do voto impresso obter algum êxito”, afirma.

Questionado sobre o tema, Orlando Silva (PCdoB-SP) também negou que a chance de aprovação aumente caso vá ao Plenário da Casa.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: Alisson_Matos

Compartilhar postagem