CartaExpressa,Política

O 7 de Setembro foi sequestrado por fanfarronice e ameaças, diz general Santos Cruz

O 7 de Setembro foi sequestrado por fanfarronice e ameaças, diz general Santos Cruz

Santos Cruz e Jair Bolsonaro. Fotos: Agência Brasil

Santos Cruz e Jair Bolsonaro. Fotos: Agência Brasil

O general Carlos Alberto Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo de Jair Bolsonaro, declarou que o 7 de Setembro foi sequestrado por interesses pessoais do presidente.

“Um dia sequestrado por interesses políticos, por interesses pessoais, com discursos com fanfarronice, com ameaça. Isso não é bom num dia de celebração da nossa independência. Por isso que a gente ficou independente: para se desenvolver economicamente, socialmente, politicamente, e não para ficar só com briga e fanfarronice política”, disse o militar da reserva ao jornal O Globo.

Bolsonaro, reforça Santos Cruz, “falou mais das confrontações entre os Poderes do que dos problemas reais que o Brasil tem”

“Na hora de homenagear aqueles que nós perdemos para a Covid, de a gente espalhar um sentimento de solidariedade com aqueles que estão passando necessidade, desempregados… Infelizmente o 7 de Setembro foi transformado em um momento puramente político. É lastimável isso aí”, completou.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem