CartaExpressa

‘No caso da Covaxin o crime se consolidou’, diz senador da CPI da Covid

‘No caso da Covaxin o crime se consolidou’, diz senador da CPI da Covid

Para Humberto Costa (PT-PE), as tentativas de compra e venda de vacinas 'são surreais. São golpistas tentando dar golpes em golpistas'

O senador Humberto Costa. Foto: Reprodução

O senador Humberto Costa. Foto: Reprodução

O senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou na segunda-feira 19 que a CPI da Covid já conseguiu comprovar que houve crime na tentativa de compra, pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, da vacina indiana Covaxin.

Em entrevista ao Direto da Redação, boletim de notícias de CartaCapital no Youtube, o parlamentar disse que os envolvidos podem responder pelo ato de corrupção passiva.

“Se não fosse um funcionário público do Ministério nós teríamos a importação e o pagamento de um número razoável de vacinas da Covaxin em um paraíso fiscal”, ressaltou o senador.

“O crime de corrupção passiva não exige a concretização da ação. Então, funcionários do governo que pediram um comissionamento responderão pelo crime”, pontuou em outro trecho da entrevista.

Na conversa, Costa ainda comentou as suspeitas de pagamento mensal de propina a políticos e servidores do Ministério da Saúde via VTCLog, empresa privada responsável pelo armazenamento e distribuição de vacinas

“Acreditamos que, com a evolução da investigação, é possível que encontremos o fio da meada. O que se diz é que de fato havia um percentual de 10% que seria distribuído entre parlamentares e funcionários do Ministério da Saúde. Os indícios são fortes”, disse.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem