CartaExpressa,Política

Nas redes sociais, atos da oposição superaram manifestações bolsonaristas

Nas redes sociais, atos da oposição superaram manifestações bolsonaristas

Levantamento mostra apoio aos atos ‘Fora Bolsonaro’ de maio e Grito dos Excluídos maior do que publicações golpistas do dia 7

Em Brasília, manifestantes pedem

Em Brasília, manifestantes pedem "Fora Bolsonaro". Foto: Sergio Lima / AFP

As manifestações da oposição realizadas no dia 29 de maio e o Grito dos Excluídos, no mesmo dia dos atos bolsonaristas, geraram maior volume de interações nas redes sociais que os atos antidemocráticos do dia 7 de setembro.

O levantamento é do jornal O Globo, que demonstrou que a #29MForaBolsonaro no Twitter teve 1,7 milhão de comentários críticos ao governo de Jair Bolsonaro, superando o 1,2 milhão de postagens de apoio ao presidente no dia 7.

As publicações contrárias ao presidente durante o dia 7 de setembro também foram maiores que os elogios, 1,5 milhão, segundo aponta o levantamento do jornal. Ao todo, seis das dez postagens mais compartilhadas eram de oposição a Bolsonaro.

O levantamento também indica que as menções positivas ao presidente no Twitter podem ser ainda menores, já que pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo identificaram comportamentos automatizados em 55% da amostra dos 1,2 milhão de tuítes. Os dados levantam a suspeita de que mais da metade dos apoiadores digitais neste dia se tratavam de robôs.

Já em relação aos atos do MBL e Vem pra Rua contra Bolsonaro, realizados no dia 12, as publicações confirmam a pouca adesão vista nas ruas. De acordo com o levantamento, foram apenas 121 mil publicações em favor das manifestações de direita. A participação do pedetista Ciro Gomes no protesto rendeu outras 42,9 mil menções na rede.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem