CartaExpressa,Política

MP-PR denuncia Barros por lavagem de dinheiro e propina

MP-PR denuncia Barros por lavagem de dinheiro e propina

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros. Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros. Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

O Ministério Público do Paraná denunciou o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), por lavagem de dinheiro e pagamento de propina. O caso remete a 2011 e, segundo o MP, o parlamentar teria recebido mais de 5,1 milhões de reais.

À época, Barros ocupava o posto de secretário de Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul do Paraná. A investigação mira o processo de compra de duas empresas de energia eólica pela Companhia Paranaense de Energia no qual, segundo o MP, Barros teria recebido parte do valor negociado. A informação é do site Poder360.

A peça aponta que as propinas teriam sido pagas durante a campanha eleitoral de 2014, o que leva Barros a ser denunciado também por tráfico de influência e falsidade ideológica eleitoral.

Em nota, o deputado bolsonarista se diz inocente e afirma que o MP-PR pratica “ativismo político”.

“Depósitos citados pelo Ministério Público são lícitos e estão declarados no meu imposto de renda ou das minhas empresas. As aquisições também estão declaradas”, alega. “A doação eleitoral oficial da Galvão ao diretório nacional do PP foi lícita e espontânea. Os valores foram distribuídos a vários candidatos que concorreram na eleição de 2014. A mim, foi destinado menos de 20 % do valor total, como reconhece o próprio MP eleitoral.”

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem