CartaExpressa

MP junto ao TCU cobra investigação sobre acúmulo de cargos por Pedro Guimarães

O órgão indica a participação remunerada do ex-presidente da Caixa em 21 conselhos de administração ligados ao banco

Créditos: Flickr
Créditos: Flickr
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União pediu, nesta segunda-feira 4, a instalação de uma investigação para apurar o acúmulo de cargos remunerados por Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa Econômica Federal que deixou o cargo após uma série de acusações de assédio sexual e moral contra funcionários do banco.

Notícias recentes publicadas pelo site R7 dão conta de que o bolsonarista acumulava cargos em 21 conselhos de administração de empresas ligadas ao banco. Com as funções, seu salário superaria o montante de 230 mil reais. O acúmulo de cargos é proibido pela Lei das Estatais, que prevê a posição remunerada em, no máximo, dois conselhos.

“Consta que o Sr. Pedro Guimarães, além de exercer o cargo de presidente da empresa pública, chegou, em 2021, a ser membro de ao menos 21 conselhos de administração de empresas ligadas à estatal! Julgo que, pela gravidade envolvida, os fatos apontados na matéria acima colacionada devam ser objeto de detida investigação pelo Tribunal”, diz um trecho do pedido do MPTCU.

A solicitação é assinada por Lucas Rocha Furtado, subprocurador-geral do órgão, que solicita providências independentemente do fato de Guimarães ter deixado o cargo, uma vez que o Superior Tribunal de Justiça já definiu, em outros casos, que o acúmulo de cargos não pode ser invalidado com o decurso do tempo.

A íntegra do pedido do MP junto ao TCU:

MP-pede-que-TCU-apure-acúmulo-de-cargos-de-Pedro-Guimarães
Getulio Xavier

Getulio Xavier
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.