CartaExpressa

Moro candidato à Presidência pelo União Brasil é uma possibilidade, diz deputado do PSL

‘A UB está de portas abertas. Existe esse sentimento e essa equação vem sendo discutida internamente”, afirmou Júnior Bozzella

Foto: Isaac Amorim/MJSP
Apoie Siga-nos no

Frente ao entrave com a bancada federal do Podemos, que sugeriu que Sergio Moro concorra ao Senado ou seja candidato à Presidência por outra legenda, o União Brasil – fusão do PSL com o DEM – tem discutido internamente essa possibilidade e “está de portas abertas” para o ex-juiz.

“A UB está de portas abertas para filiar o Moro. Existe esse sentimento e essa equação vem sendo discutida internamente”, afirmou o deputado federal Júnior Bozzella (PSL-SP), um dos coordenadores da campanha de Moro.

“Se estivesse filiado no partido (UB) ele teria essa capilaridade, pois vamos ter ao menos 12 palanques estaduais e isso dá um arranque bom, sem contar o número de deputados filiados. (A candidatura) ganha envergadura”, afirmou Bozzella.

Como revelou CartaCapital, a bancada de deputados federais do Podemos ameaça se desfiliar caso Moro siga como pré-candidato à Presidência. Os motivos passam pelos arranjos regionais implodidos pela candidatura, a divisão do fundo eleitoral de 229 milhões de reais, o fiasco nas pesquisas e o tempo de televisão.

Lançando-se pela UB, como defendem os deputados, Moro teria 1 bilhão de reais de fundo eleitoral e palanques já construídos em ao menos 12 estados. O Podemos poderia, assim, indicar a vice e liberar os palanques regionais.

Atualmente, 80% da bancada do Podemos vota com Jair Bolsonaro e já deu início às construções nos estados para a reeleição do ex-capitão. Outros dois são aliados do PT na Bahia e em Pernambuco.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.