CartaExpressa,Política

Ministro diz que empresários mobilizaram paralisação de caminhoneiros

Ministro diz que empresários mobilizaram paralisação de caminhoneiros

'Não foi um movimento de caminhoneiros, mas político. Tinha outros agentes usando caminhão, como empresários de transporte e do agronegócio'

O presidente Jair Bolsonaro, ao lado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro, ao lado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Foto: Reprodução

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, atribuiu a paralisação de caminhoneiros no 7 de setembro contra os ministros do Supremo Tribunal Federal à atuação de empresários do agronegócio e transportes.

“Não foi um movimento de caminhoneiros, mas político. Tinha outros agentes usando caminhão, como empresários de transporte e do agronegócio”, afirmou o titular da pasta em entrevista ao podcast A Malu Tá On, da jornalista Malu Gaspar, de O Globo.

O movimento de paralisação começou depois que o presidente Jair Bolsonaro discursou no 7 de setembro contra instituições como o STF e TSE. O ex-capitão inclusive chegou a dizer que ele não mais acataria as decisões do ministro Alexandre de Moraes que, no âmbito do inquérito das fake news, determinou a prisão de bolsonaristas como Roberto Jefferson e do caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, um dos que mais incentivou a paralisação da categoria.

Para desmobilizar os caminhoneiros, Bolsonaro recuou do que proferiu no dia da Independência e, em parceria com o ex-presidente Michel Temer, soltou uma nota enaltecendo as qualidades de Moraes, a quem chegou a ofender pessoalmente, e pedindo diálogo entre os Poderes. O presidente chegou a gravar um vídeo aos manifestantes para que acreditassem que o pedido de liberação das rodovias vinha do Executivo.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem