CartaExpressa

Ministério de Damares apaga nota em que lamentava mortes no Jacarezinho

Ministério de Damares apaga nota em que lamentava mortes no Jacarezinho

Texto dizia que moradores também são vítimas e reféns de atividades criminosas

Foto: Isac Nóbrega/PR

Foto: Isac Nóbrega/PR

O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, retirou do seu site uma nota em que se solidarizava pelas mortes na operação policial na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro.

A informação foi publicada primeiramente pelo jornal Folha de S.Paulo.

O texto dizia que “é urgente a necessidade de combate ao crime organizado, ao tráfico de drogas e às demais atividades marginais que ocorrem na cidade”.

“Entendemos, também, que essas devem ocorrer de forma a proteger a vida de todos, especialmente dos moradores que, também, são vítimas e reféns de atividades criminosas”, completava.

De acordo com a Folha, Damares foi pressionada nas redes sociais por apoiadores radicais do presidente Jair Bolsonaro, que têm insistido em narrativa de que as vítimas da operação eram todos criminosos, com exceção do policial.

Nota retirada do ar

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: Alisson_Matos

Compartilhar postagem