CartaExpressa,Saúde

Ministério da Saúde reconhece ineficácia da cloroquina

Ministério da Saúde reconhece ineficácia da cloroquina

Em documento enviado à CPI da Covid, pasta afirmou que 'medicamentos foram testados e não mostraram benefícios clínicos na população'

Pílula de Hidroxicloroquina - Foto: GEORGE FREY/AFP

Pílula de Hidroxicloroquina - Foto: GEORGE FREY/AFP

O Ministério da Saúde reconheceu, em documento enviado à CPI da Covid no Senado Federal, que os medicamentos do chamado Kit Covid são ineficazes contra o coronavírus.

Por pedido do senador Humberto Costa (PT-PE), duas notas técnicas foram entregues pela pasta para a Comissão.

“Alguns medicamentos foram testados e não mostraram benefícios clínicos na população de pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados, sendo eles: hidroxicloroquina ou cloroquina, azitromicina, lopinavir/ritonavir, colchicina e plasma convalescente. A ivermectina e a associação de casirivimabe + imdevimabe não possuem evidência que justifiquem seu uso em pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados nessa população”, diz o texto da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), responsável por assessorar o Ministério da Saúde quanto à incorporação de tecnologias pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O documento, que CartaCapital teve acesso, diz que “não há, no âmbito da Conitec, demanda para análise de incorporação da cloroquina ou hidroxicloroquina para tratamento da Covid-19”.

“Entretanto, o ministro da Saúde solicitou a elaboração de Diretrizes para Tratamento da Covid-19”, acrescenta a Conitec.

Os medicamentos que compõem o Kit Covid foram defendidos pelo presidente Jair Bolsonaro e são alvos da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as ações e omissões do governo federal durante a pandemia.

Leia a nota na íntegra.

Nota Técnica 242 2021 CITEC CGGTS DGITIS SCTIE

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: Alisson_Matos

Compartilhar postagem